Perfeccionismo, ajuda ou atrapalha?

Vivemos num mundo que cobra a perfeição a todo instante. O perfeccionismo tem sido valorizado, como comportamento esperado para se obter grandes resultados.

Não poste uma foto feia no Instagram, não ouse sair de casa sem ter arrumado o cabelo, sem estar com uma boa roupa. Seu filho tirou que nota na prova? Nove virou nota baixa. A perfeição aparece até nas entrevistas de emprego, quando perguntados sobre quais são seus pontos fracos e fortes, sempre aparece: perfeccionismo!

No ambiente profissional, competitivo, exigente e com foco em alta performance, é comum nos depararmos com pessoas que buscam cada vez mais a perfeição: não falhar, não cometer erros sob hipótese alguma e ainda mais – que vem e reveem cada tarefa realizada, buscando detalhes ínfimos a serem melhorados.

Precisamos ser perfeitos no trabalho, em casa, na sociedade, como pessoa, com a família.

E não apenas ser, é preciso mostrar que é.

E quando não se atinge esse alto patamar (fixado por quem, mesmo?) surge a frustração e a culpa!

Perfeccionismo no trabalho ajuda ou atrapalha?

Nas entrevistas de emprego há um paradigma que assombra entrevistadores e entrevistados. Afinal, um profissional ser perfeccionista é bom ou ruim para empresa e organização? Depende do ponto de pista? Não, depende dos limites, comportamentos e habilidades de cada um.

Há perfeccionistas que buscam tanta perfeição que interfere nas atividades de outros colegas de trabalho, ficam realizando a mesma tarefa várias vezes por dia ou semana, diminui a produtividade.

Por outro lado, há os perfeccionistas que usam essa característica a favor próprio. Conseguem dividir as tarefas, se relacionar e não perder tempo no que não tem muita habilidade, mas não abrem mão da eficiência das tarefas.

Primeira reflexão, se você vive nesta pilha pela perfeição:

O que te motiva a agir assim? O que realmente busca? O resultado ou a aprovação de terceiros?

8 sintomas da perfeição que pode estar te atrapalhando:
  • Você faz muito mais coisas para agradar aos outros do que porque realmente gostaria de ter feito.
  • Você passa muito tempo fazendo tarefas repetitivas, como organizar ou conferir coisas.
  • Constantemente você discute com as pessoas por elas terem feito algo diferente do que você esperava.
  • Você procrastina e não finaliza algumas atividades, achando que falta algo ou que poderia estar melhor.
  • Você é altamente crítico com o que faz.
  • Você leva tudo para o lado pessoal – mesmo quando o erro foi cometido por outra pessoa, você se cobra!
  • Você fica na defensiva quando é criticado.
  • Você nunca acha que cumpriu o seu objetivo plenamente, sempre falta algo.

 

Esta matéria foi extraída de: https://administradores.com.br/artigos/o-perfeccionismo-virou-vil%C3%A3o

Projeto RH GOLIN

Amanda S.C. Fernandes – Gerência RH
Luciana Germano – Conteúdo Institucional
Márcia Borlenghi – Design, revisão e curadoria conteúdo cultural

Posts Relacionados

Nenhum resultado encontrado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu