Linguagem Corporal e Autotransformação

Convidamos você a assistir a palestra da professora e pesquisa do Harvard Business School, Amy Cuddy. Sua pesquisa estuda como comportamento não verbal dos alunos afetava as outras pessoas em classe de aula. Sua pesquisa demonstrou como um treino corporal (seu estudo “Power Posing” – Posições de Poder) podem influenciar e alterar a química de nosso corpo, influenciar nosso próprio cérebro.

Em uma breve definição, a  linguagem corporal é uma forma de comunicação não verbal. Abrange principalmente gestos, postura, expressões faciais, movimento dos olhos e a proximidade entre o locutor e o interlocutor.

Os primeiros estudos científicos sobre linguagem corporal foram feitos por Charles Darwin e publicadas no livro “A expressão das emoções em homens e animais”. Darwin defendia que os mamíferos demostravam suas emoções através de expressões faciais. A linguagem corporal foi uma das primeiras formas de comunicação humana e continua sendo uma das mais fortes e expressivas. A linguagem corporal vem sendo utilizada há milhões de anos e está relacionada principalmente ao sistema límbico (mesencéfalo), a segunda estrutura mais primitiva de nosso cérebro.

Linguagem corporal é responsável pela primeira impressão de uma pessoa. O investigador americano Ray Birdwhistell fez uma estimativa da proporção verbal/não verbal do comportamento e concluiu que até 55% da mensagem é transmitida via linguagem corporal. Ainda segundo o mesmo estudo, a voz é responsável por 38% e as palavras apenas por 7%.

Uma pesquisa de 2006, conduzida por Alexander Todorov, psicólogo da Universidade de Princeton, nos Estados Unidos, mostra que as pessoas fazem julgamentos umas das outras em um décimo de segundo, apenas pela expressão dos seus rostos.

Na palestra de Amy Cuddy, “Sua linguagem corporal pode transformar quem você é” é nos instiga:

“Então, quando pensamos sobre (linguagem) não verbal, pensamos em como julgamos os outros, como eles nos julgam e as consequências. Porém, tendemos a esquecer outro público que é influenciado por nosso não verbal, que somos nós. Também somos influenciados por nossos não verbais, nossos pensamentos, sentimentos e fisiologia.”

Projeto RH GOLIN

Amanda S.C. Fernandes – Gerência RH
Luciana Germano – Conteúdo Institucional
Márcia Borlenghi – Design, revisão e curadoria conteúdo cultural

Posts Relacionados

Nenhum resultado encontrado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu