Arroz e feijão: só faz bem!

Arroz e feijão é a combinação brasileira queridinha dos nutricionistas. A dupla fornece nutrientes essenciais e pode ajudar a controlar o colesterol e combater anemia.

A combinação de arroz e feijão faz parte da base alimentar brasileira. Segundo a pesquisa de 2018, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), esses produtos estão entre os itens preferidos para o cardápio do dia a dia. A frequência de consumo de arroz chega a 76,1%, enquanto o feijão vem logo atrás, com 60%.

Propriedades do arroz

O arroz é uma fonte de carboidrato, ou seja, fornece energia. Como não tem glúten, o cereal acaba sendo uma alternativa para pessoas que apresentam restrição a esta proteína. Saiba mais sobre os benefícios do grão.

Redução da gordura

Um estudo conduzido por pesquisadores da Baylor College of Medicine, nos Estados Unidos, apontou que ingerir uma porção de arroz todos os dias ajuda na redução da gordura no organismo. Além de fornecer aminoácidos essenciais e minerais, como o potássio e magnésio. Por isso, o consumo do grão deve ser incentivado para melhorar a qualidade nutricional do cardápio.

Renovação celular

O arroz é rico em vitaminas A, E e do complexo B. Elas contribuem para a regeneração celular e a formação de glóbulos vermelhos, que levam oxigênio aos órgãos e tecidos do corpo.

Melhora o intestino

O arroz integral é o melhor tipo quando falamos em benefícios para o intestino. O principal motivo é a quantidade de fibras que ajuda na digestão e absorção dos nutrientes. Além disso, o grão tem a maior quantidade de proteínas, em comparação com outros tipos. Assim, se torna uma boa opção para quem busca reestruturação muscular.

Tipos de arroz

Você sabe qual variedade escolher? Veja abaixo um pouco sobre as principais opções do mercado. Mas já vamos dar uma dica, o arroz integral é a escolha certa para quem quer comer menos e garantir bons níveis nutricionais!

Arroz branco

O arroz branco polido passa por um processo chamado de brunição onde é lixado para ficar com o aspecto clarinho e uniforme. Nesse processo, ele perde a maior parte dos nutrientes, que se concentram na casca. Portanto, torna-se basicamente uma fonte de energia, sem grande quantidade de vitaminas e minerais. Todavia, pode ser enriquecido através de preparações variadas ao incluir legumes, leguminosas e oleaginosas.

Arroz parboilizado

O arroz parboilizado também é descascado e polido. No entanto, ele consegue manter uma concentração maior de nutrientes por causa da parboilização. O procedimento consiste em imergir os grãos em água quente e secá-los antes de embalar para a venda. O resultado é um produto mais soltinho e que dura mais tempo na despensa.

Arroz integral

Esse tipo de arroz mantém a casca com camadas de farelo. O Centro de Pesquisa em Alimentos da USP explica que o tipo integral possui 20% mais de proteína e o dobro de fibras alimentares, em comparação com o arroz branco.

Vale lembrar que as fibras aumentam a sensação de saciedade. Então, o arroz integral é a escolha certa para quem quer comer menos e garantir bons níveis nutricionais.

Propriedades do feijão

Segundo o Departamento de Economia Rural, da Secretaria do Estado da Agricultura e Abastecimento, são 16 tipos de feijão cultivados em solo tupiniquim, com tamanhos, cores e nomes variados.

A Sociedade Nacional de Agricultura (SNA) constatou que o tipo carioca é o mais popular e corresponde a 70% do consumo nacional. Outra variedade bastante presente nos lares é o feijão-preto, que possui excelente composição nutricional. Conheça alguns benefícios dos grãos:

Combate a anemia

O feijão é uma importante fonte de ferro. Além de colaborar no transporte de oxigênio para as células, esse mineral combate a anemia ferropriva, doença que pode causar fraqueza, falta de ar e hemorragias excessivas.

A absorção do nutriente melhora quando há presença de vitamina C no organismo. Mais um ponto para a leguminosa, que é rica em vitaminas.

Reduz o colesterol

As fibras do feijão contribuem para a redução do LDL nos vasos sanguíneos, o chamado colesterol ruim, que se acumula nas paredes das artérias e pode causar obstruções.

Um estudo publicado no Canadian Medical Association Journal indica que o consumo de leguminosas impacta positivamente a saúde e explica que 130g de feijão, lentilha, grão-de-bico ou ervilha, por dia, é capaz de reduzir os níveis de LDL.

Protege o coração

Com a redução do colesterol ruim no sistema circulatório, o sangue flui melhor, levando oxigênio e nutrientes ao coração.

Uma metanálise publicada pela American Heart Association comparou resultados de diversos estudos para avaliar a relação entre o consumo de feijão e o risco de doenças coronárias. Os pesquisadores concluíram que comer leguminosas também pode diminuir o risco de problemas cardíacos.

Arroz e feijão: excelente combinação para as refeições

Até aqui vimos como o arroz e feijão atuam no nosso corpo de forma separada. Contudo, é a combinação dos dois ingredientes que oferece uma alimentação poderosa para os brasileiros. Trata-se de uma alternativa popular, saudável e recomendada por nutricionistas.

Isso acontece porque aquilo que um produto não tem o outro compensa. Por exemplo, o feijão conta com a lisina, aminoácido que age na produção de colágeno e no crescimento ósseo. Mas, é pobre em metionina. Já o arroz, oferece níveis abundantes de metionina, responsável pela formação dos músculos e pouca lisina.

Logo, a união de arroz e feijão é uma boa combinação para a saúde do consumidor. Os ingredientes são interessantes também para os vegetarianos, pois fornecem aminoácidos importantes para o organismo.

O Guia Alimentar para a População Brasileira aconselha que os alimentos in natura,  como o arroz e feijão, façam parte da base alimentar da população brasileira. Visto que entregam uma boa quantidade de nutrientes, sem elevar grande quantidade de calorias.

Apesar dos benefícios, não dá para exagerar. A dica é misturar cereais e leguminosas com bastante salada e alguma outra fonte de proteína. Na dúvida, monte um prato bem colorido, com uma variedade de ingredientes. É importante consultar um nutricionista para elaborar um cardápio adequado às suas necessidades.

Gostou da matéria? Está completa no site Minha Saúde – Proteste: https://minhasaude.proteste.org.br/arroz-e-feijao/

Projeto RH GOLIN

Amanda S.C. Fernandes – Gerência RH
Luciana Germano – Conteúdo Institucional
Márcia Borlenghi – Design, revisão e curadoria conteúdo cultural

Posts Relacionados

Nenhum resultado encontrado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Preencha esse campo
Preencha esse campo
Digite um endereço de e-mail válido.

Menu